22/12/2012

Tanto barulho por nada

Olá gente já que o mundo não acabou ainda, resolvi escrever esse artigo sobre a questão do "barulho" da vizinhança. Creio que as informações aqui dadas atingirão quase a totalidade da população urbana de todo o mundo, afinal de contas, quem nunca teve, tem ou terá; foi, é ou será um vizinho barulhento. Acho engraçado como em casa de ferreiro o espeto é de pau, já falei aqui que a minha área é acústica, apesar de ter experimentado quase todas as áreas da arquitetura a que me apaixonei e me dediquei foi mesmo a acústica ambiental e edifício, a linha de investigação que sigo no meu doutoramento aqui em terras lusitanas. Então vamos deixar de lero-lero e falar sobre qualquer coisa de "barulho de vizinhança".


Antes de dar as dicas prática como sempre.. quero apenas fazer uma pausa para diferenciar ruído e som. Tudo aquilo que se ouve, que é desejável e agradável é denominado som, já tudo aquilo que se ouve que é indesejado, sem significado, desagradável e que causa transtorno é ruído. Ou seja, o conceito é extremamente subjetivo e depende exclusivamente do ponto de vista. Um rádio ligado é som para quem o ligou e ruído para quem não pretende ouvi-lo. Portanto, você precisa entender que seu som em algum ponto se tornará ruído.

Outra questão que você precisa entender é que não importa o "volume" do som, se ele incomoda é ruído e portanto, perturbador. Temos que acabar com essa ideia de que apenas incomoda o ruído que atinja valores acima de tando decibéis.

Você precisa saber também que a exposição diária a níveis alto de ruído pode levar à perda auditiva, além dos transtornos menos relacionado a audição como estresse, irritabilidade, dores de cabeça, dificuldade de concentração, insonia, pesadelos etc... 

No Brasil a Lei de Contravenções Penais no seu artigo 42 diz:

LCP - Decreto Lei nº 3.688 de 03 de Outubro de 1941

Art. 42. Perturbar algué
m o trabalho ou o sossego alheios:
I - com gritaria ou algazarra;
II - exercendo profissão incômoda ou ruidosa, em desacordo com as prescrições legais;
III - abusando de instrumentos sonoros ou sinais acústicos;
IV - provocando ou não procurando impedir barulho produzido por animal de que tem a guarda:
Pena - prisão simples, de quinze dias a três meses, ou multa, de duzentos mil réis a dois contos de réis. 

Veja bem, a lei não determina quantos decibéis e nem horário em que isso ocorra, portanto, brasileiros, não importa se é 11h da manhã ou 11h da noite, incomodar com gritaria e algazarra é contravenção penal e dá cadeia (ou pelo menos deveria). Claro que em tudo há que existir o bom senso. E na questão subjetiva dos ruídos o bom senso é o que deve reinar sempre.


Você não suporta o ruído do seu vizinho de cima e não sabe mais o que fazer?


http://www.acital.com.br

Cuidado, você pode estar tendo ódio da pessoa errada. Em questão de acústica de edifícios você pode ser enganado pelo ouvido. Em um edifício há diversos ruídos, alguns deles culpa exclusiva do construtor e é este que você deve recorrer,  principalmente se ouvir ruído de tubulação de água e esgoto. Você não pode culpar o seu vizinho pela descarga que ele deu na madrugada e te acordou. Mas pode (deve) culpar o construtor e pedir que ele resolva.

Outro tipo de ruído mais comum é o que nós chamamos de "ruído de percussão" é aquele que é provocado pelo arrastar de cadeiras, bolinhas de gude caindo no chão, pisadas  etc  e é transmitido pela estrutura do prédio.

Outro tipo são os ruídos aéreos, conversar, som, televisão, gritaria, algazarras. Aqueles que são transmitidos  pelo ar.

O que chega ao seu ouvido pode ser a conjugação desses fatores, portanto, uma solução que contemple apenas um dos tipos pode não resultar satisfatoriamente. 

Outra questão que você deve levar em conta é que o barulho do vizinho de cima, pode não ser efetivamente o de cima a incomodar, neste caso a transmissão do ruído pela estrutura do prédio pode enganar o nosso ouvido. Portanto, o "toc-toc" pode estar sendo ocasionado pelo vizinho de cima, pelo de cima do de cima, pelo de baixo ou pelo debaixo do debaixo e assim por diante... esse ruído é transmitido pela estrutura do  prédio e chega ao seu ouvido como se fosse "ao lado".


Dicas antes de entrar na justiça ou levar ao síndico:


  1. Verifique se o ruído que o incomoda vem de exageros da vizinhança ou  é sensibilidade sua. Ninguém é obrigado em sua própria casa a andar como se estivesse pisando em ovos. Geralmente lajes mal projetadas transmite de forma incômoda o simples caminhar do vizinho de cima. A culpa, portanto, não é do vizinho.  Este caso pode ser resolvido (na maioria dos casos) com a colocação de piso flutuante no andar de cima e no andar de baixo rebaixar o  teto com  forro de gesso e material absorvedor, fazendo os devidos isolamentos das estruturas.

  2. Ruído vindo do Hall social do prédio, tratar as frechas das portas, na maioria do caso trocar até a porta.

  3. Ruído vindo de fora, trocar as janelas por janelas acústicas, fechar qualquer tipo de passagem de ar, frechas, buracos, etc.
  4. Chamar alguém de fora para ver se essa pessoa também ouve os ruídos que você está ouvindo, parece mentira, mas o ruído pode se coisa da sua cabeça.
     
  5. Coloque borrachas (ou feltro) nos pés das cadeiras, sofás, poltronas e qualquer coisa que pode ser arrastada.

  6. No quarto do seu filho pequeno coloque alcatifa no piso ou qualquer material de borracha, na verdade ninguém merece ouvir os brinquedos de seu filho a cair (ou sendo jogado) pelo quarto ou seu filho ensaiando pulos de paraquedas a partir da cama.

  7. Outro ruído chato é o caminhar de cachorros no andar de cima, apesar de ser um ruído baixo as vezes é por demais irritante, pode ser resolvido colocando sapatos no animal (não estou brincando), limitando a área de passeio do animal pela casa, ou substituindo o piso por outro mais macio


Então qual o ruído que te incomoda??? Compartilhe conosco a sua angústia e vemos se há como chegar a uma solução. Grande abraço a todos !

Compartilhar

Tanto barulho por nada
4/ 5
Oleh

Assine via e-mail

Adicionar o seu endereço de e-mail para subscrever .

12 comentários

Escrito comentários
avatar
8 de fevereiro de 2013 18:15

Olá João, boa tarde

Veja minha situção, preciso de ajuda para saber o que fazer.Me mudei para um apartamento quarto/sala a 4 meses atrás, logo após ao me mudar, o apartamento de cima também recebeu uma nova inquilina no mesmo período. A vizinha de cima possui um pitbull, é isso mesmo, ela colocou um pitbull para morar em um apto de quarto/sala, acontece que o bicho é robusto e ao andar ele provoca ruídos, percebo totalmente a rotina do cachorro no andar de cima apenas escutando os passos e barulho de unhas de cachorro, fora as vezes que o cachorro deve pular bruscamente que parece que vai entrar no meu apto. No condomínio onde resido não existem leis nem regras, existe a questão do bom senso (que hoje em dia é coisa rara), já solicitei ao sindico que falasse com a moradora, isso já fiz mais de 3 vezes, detalhe, o sindico reside ao lado do meu apto e disse também já ter ouvido barulho do cachorro. Em uma oportunidade consegui escutar a conversa do sindico com a moradora, e o sindico não conseguiu ser objetivo ao falar, nesse dia a moradora veio ao meu apto querendo resolver a situação, dizendo que o sindico ja havia falado com ela duas vezes, conversamos e ela ficou de colocar botas no bicho para abafar o som. Passado o tempo (duas semanas) o barulho continua da mesma forma e intensidade, resolvi eu mesmo conversar com a moradora mais uma vez, reparem que ja estou em uma situção de stress total, ouço o cachorro andando de noite, de madrugada de manha quando acordo, ouço fazendo barulhos, talvez ele pegue algo com a boca e solte, barulho de coisas sendo jogadas ao chão, enfim, esperei a moradora descer a escada com o bicho para conversarmos e antes de eu perguntar alguma coisa ela já questionou se o barulho melhorou dizendo que havia comprado as botas, eu em tom firme disse que os barulhos continuavam e que ainda existe incomodo, ela tentou argumentar dizendo que não podia fazer o cachorro parar de andar e também mencionou a questão do horário (como se ela fosse regrada com relação a isso) e ainda se acha correta nesta situação dizendo que não faz barulhos pois não anda de saltos e não arrasta moveis (que também são inverdades, a moradora é barulhenta), eu disse que quem quer ter cachorro em casa de grande porte deve tomar certos cuidados, que ela deveria colocar tapetes para abafar o som, ela mostrou não aceitar muito essa opção e ainda queria que eu fizesse um rebaixamento de gesso no teto, observação, o sindico possui isso e também já escutou o barulho, fiquei de dar um tempo para ver se ela resolvera totalmente os barulhos, caso contrario estou pensando em colocar esse caso na justiça, pois a moradora se acha na razão e parece ser totalmente avessa a mudanças de comportamento. Preciso de ajuda, pois essa situação esta incomodando demais, como devo proceder com essa questão sabendo que já conclui algumas etapas como falar com o sindico e falar com a moradora?

Desde já agradeço a atenção.

Reply
avatar
9 de fevereiro de 2013 07:22

Olá Bruno, obrigado por ler o nosso bloguinho. Não dissestes de onde és.Bem eu não posso te dar assessoria jurídica uma vez que sou especialista em acústica não advogado, meus conselhos resumem-se a sanar a questão do ruído. Entretanto, a legislação brasileira é bem clara quando assegura que "o domicilio é asilo inviolável", neste caso o o ruído do cachorro viola o seu domicílio. Portanto você está acobertado para acionar a justiça. Mas a justiça brasileira demora... e a princípio mandará a inquilina resolver o caso... o que de fato vai acontecer nas primeiras semanas e depois volta-se tudo ao normal... e começa-se o processo todo novamente... um advogado te aconselhará melhor nesta situação. Como especialista posso te dizer que pelo porte do cão, botas só elimina o ruído provocado pela unhas e não o do impacto. rebaixar o teto com material acústico isola apenas o ruído aéreo (fala, musica, etc), neste caso trata-se de "ruído de percussão" que só será realmente resolvido com tratamento no piso superior (da inquilina em questão) com alcatifas grossas ou piso flutuante com um bom material isolante, fora isso nada que ela fizer resolverá, podes acreditar. Grande abraço e qualquer outra questão podes perguntar.

Reply
avatar
8 de agosto de 2014 19:33

Olá João Sou do RJ e tenho passado o seguinte problema:
Minha vizinha de cima anda descalço dentro do AP dela e e acaba gerando um desconforto na sala. De principio paguei uma empresa para fazer rebaixamento de gesso comum com 30 cm de distancia do teto sem tratamento acústico. Sendo que, ficou impraticável ficar na sala por conta do eco gerado com a instalação do gesso. Fiz em seguida o tratamento acústico do teto com lâ de vidro e melhorou bastante a questão do eco gerado o que aconteceu agora é o som de grave quando ela caminha na sala. Você que houve algum tipo de erro nesse projeto que fiz? O Gesso acartonado + a Lâ resolveria o problema do som de grave gerado pelo caminha da vizinha?
Grato,

José

Reply
avatar
Anônimo
9 de agosto de 2014 10:23

Olá. Bom dia. Vi que o tópico é de 2012 mas vou deixar uma dúvida para ver se é respondida. Mudei-me há menos de uma no para uma casa que tem uma vizinha em cima. Pois bem. Fiz quatro visitas em diferentes horários para verificar os possíveis pontos negativos da casa e, em todas as oportunidades, não ouvi nenhum ruído. Fiz negócio e o sossego durou pouco. São 24 horas de barulho. A vizinha possui TRÊS cachorros, que ficam andando, correndo, pulando e suas unhas batem como pequenas estacas no chão. São INCAPAZES de levantar uma cadeira para movê-la, e aquele barulho de madeira seca ecoa na casa toda. Andam de salto como se fizessem caminhada, fora um cano de esgoto que passa dentro da minha casa e toda vez que a descarga é acionada, ouve-se o som de uma cachoeira... Tudo isso inclusive em horários inoportunos, como tarde da noite. Como trabalho em turnos, as vezes durante o dia me atrapalha a preparar para a jornada.
Já tentei conversar amigavelmente, reclamando apenas do barulho que acontece tarde da noite e início da manhã, e o que ouvi foi que "quem mora embaixo está sujeito a isso", "que estou muito novo para me preocupar com barulho", enfim, ela ainda acha que está certa em não ter educação.
Lendo esse tópico, cheguei a conclusões e dúvidas.
Conclusões:
1) Por ser apenas uma casa em cima, conclui-se que o ruído de percussão vem sim da vizinha de cima;
2) Não é sensibilidade minha, pois são ruídos altos e em horários inoportunos;
3) A laje é mal projetada, potencializando ainda mais o ruído proveniente da falta de respeito;
4) Não é coisa da minha cabeça, pois minha esposa reclama e até um pedreiro que veio fazer serviço para mim perguntou se ela era normal (fora que o pessoal do bairro comentou que no salão que ela frequenta, o dono tem vontade de não marcar horário para ela).
5)Ruídos que NÃO incomodam: cachorro latindo, conversas, brigas, música e TODAS as outras situações NORMAIS do cotidiano, ou seja, o que incomoda é apenas a falta de educação.
Dúvidas:
1) Sendo "o domicilio é asilo inviolável", o juiz pode determinar a solução do problema com instalação desse tipo de piso em cima? (Já rebaixei 2 cômodos e não adiantou, pois não sabia que só resolvia ruído aéreo). Como as duas casas ficam no mesmo terreno, também sou dono dele e mereço respeito.
2) Como poderia acionar quem fez a obra?
3) E, por fim, o que fazer?
Se ver isso postado quase dois anos depois e responder, agradeço.

Reply
avatar
14 de agosto de 2014 20:04

Prezado José, a principio sim, houve si erros. O som de graves que você ouve pode ser resultante de transmissões marginais, ou seja, quando ela bate no chão a vibração é passada para as paredes e para o próprio teto rebaixado pelos tirantes que o sustenta. Este tipo de ruído só seria efetivamente realizado com o isolamento do piso que emite o ruído. Ou seja para o fim definitivo a sua vizinha de cima deveria trocar o piso por piso flutuante ou mesmo alcatifa. Um vez que isso foge do seu controle (a não ser que entre em juízo e gaste com perícia técnica) o que amenizaria ainda mais esse ruído de percussão seria e instalação correta do teto falso, ou seja, não colado à laterais da parede (entre parede e teto coloca um material resiliente, alcatifa, emborrachado etx... e amortecedores próprios nos tirantes). Bem, espero ter ajudado.

Reply
avatar
14 de agosto de 2014 20:28

Só é mal não ter posto o nome hahaha apesar do tópico antigo o bloguinho ainda está ativo e respondo perguntas. Ainda bem que você já me escusou de um monte de perguntas e entendeu a questão do ruído de percussão. Infelizmente o Brasil, apesar das novas legislações de acústica, ainda anda um pouco atrasado no que tange à questão de um único incomodado. por isso o juíz tanto pode entender o seu caso como não, uma vez que não é ele que está morando nem nunca passou por esse problema, e para isso você teria que GASTAR com um laudo técnico para apresentar em juri. Mas neste caso seria interessante consultar um advogado... procurar que fez e vendeu, nesta altura, não resultará em algo realmente viável a não ser que ele ainda seja dono da casa de cima.

Soluções:

Ruído de hidro-sanitários. Um dimensionamento correto das peças hidraulica (canos, joelhos e tal) resolveria bastante. Separá-los do contacto com a parede com amortecedores material resiliente e colocação de lã de rocha caso ele passe pelo seu banheiro com teto baixo como é o caso de alguns apartamentos. Fora isso não há outra solução viável.

Rebaixamento de teto: Como respondi ao Wilson aí acima, o rebaixamento tem que ser feito com muita cautela para evitar contato direto com paredes pelas laterais e com o teto pelos tirantes utilizando material resiliente nas laterais e amortecedores nos tirantes além, é claro, da lã de rocha de 60kg/m3. isso sim deveria diminuir sensivelmente o ruído.

A solução mais tosca, inconcebível mas a mais correta é presentear a sua vizinha com um piso novo. fazendo um laje flutuante sob a que lá esta ou piso flutuante com o devido isolamento acústico.

Sei que não ajudei muito. Mas é o que posso dizer sem ver o caso. Se tiver mais dúvida pode enviar-me! Abraços.

Reply
avatar
Anônimo
8 de setembro de 2014 05:16

Bom dia! Moro em um ap e tenho uns vizinhos que moram no ap do meu lado que sao bastante inconvenientes, eles vivem com a porta da sala dele aberta, e adoram fazer barulho depois das 23h! Chegam da rua tarde, vao jantar e acham pouco e liga o seu home teather que fica na parede colado com meu sofa e mesa de estudos! Fica um barulho( eco ) insuportavel e como falei eles deixam a porta aberta! Ja pedir com educacao algumas vezes para baixar o volume ou fechar a porta, mas no outro dia faz a mesma coisa! Sem contar com visitas que eles recebem sempre depois das 22h e sempre com a porta de sua sala aberta! Como deve agir com essea mal educados? Principalmente com o home teather que mais me encomoda! Gostaria mt de sua opiniao! Obr desde já!

Reply
avatar
18 de setembro de 2014 17:07

Infelizmente a Educação não se ganha na justiça... mas o direito ao silêncio sim.. mas infelizmente a polícia pouco interfere na questão de vizinhos que incomodam apenas uma pessoa, neste caso acho que uma reunião de condômínio seria uma boa solução... mas você pode sempre isolar a sua casa sim, existem portas acústicas e a parede em que fica o home theater pode ser revestida para melhorar o isolamento mas essas duas soluções não são tão baratas assim. A opção mais barata é verificar na porta as possíveis brechas e ranhura (principalmente nas soleiras das portas" e forrar com feltro e emburrachados, ajudará bastante, lembre que uma pequena fenda é responsável por quase 50% de perda de um isolamento sonoro,. Pense NIsso. Abraços

Reply
avatar
12 de janeiro de 2016 02:48

Olá João,

Meu nome é Marcos ...sou de São Paulo...

meu vizinho do apt. de baixo...utiliza um HomeTheater em seu imóvel...mas o mesmo sempre que é usado...causa vibração em meu imóvel..na sala do meu apt.

existe algo que o meu vizinho consiga fazer para solucionar isso..algum ajuste em seu HT..??

grato,

Marcos

Reply
avatar
12 de janeiro de 2016 02:50

Olá João,

Meu nome é Marcos ...sou de São Paulo...

meu vizinho do apt. de baixo...utiliza um HomeTheater em seu imóvel...mas o mesmo sempre que é usado...causa vibração em meu imóvel..na sala do meu apt.

existe algo que o meu vizinho consiga fazer para solucionar isso..algum ajuste em seu HT..??

grato,

Marcos

Reply
avatar
27 de março de 2016 15:54

Estou passando por isso. Me mudei recentemente e a vizinha de cima com os dois filhos parecem possuídos pelo exorcista. Arrasta cadeiras, mesas, sofás 24h por dia, o andar dela parece que vai derrubar o prédio. Os filhos parecem que jogam bola dentro de casa. Um verdadeiro caos. Estou há um mês aqui e já penso em sair. Apartamento nunca mais, só se for a cobertura.

Reply
avatar
Anônimo
27 de setembro de 2016 03:26

Eu passo um inferno tb! Não considero ser problema acústico pq se fosse, ouviria todas as pessoas que moram no apto de cima mas ouço exclusivamente a mulher. Ela parece um elefante. Já falamos diversas vezes mas ela não é capaz de colocar um chinelo. É mal educada e surda pq com certeza consegue ouvir o próprio barulho. Infelizmente vivemos num país onde temos que conviver com selvagens ao invés de pessoas.

Reply

Só uma palavrinha!!!

Página inicial